sábado, 3 de novembro de 2012

O diário de Helena - Página 5

“Sabe esses dias que tu acorda de ressaca, muito louco, doidão...”, já dizia o Catra. 

Acho que eu nunca fiquei com uma ressaca tão sinistra como essa. Não senti nada ontem, mas hoje... Minha cabeça dói num nível master. A cada vez que pisco os olhos parece que explode uma bomba na minha cabeça. Meu fígado é muito potente, não passei mal, mas em compensação, hoje estou com uma gastura, um gosto ruim na boca e com azia. Tudo isso porque eu misturei cerveja, vodka, energético e uma bebida louca lá que me deram que eu não faço ideia do que era, mas até que era boa.

Devo explicações aqui, eu sei. É sobre elas que vim falar e terminar de contar o fim da minha incrível noite, que pode-se ler como fim da minha incrível aventura.

O DJ... Quem era o DJ?

Há mais ou menos um ano eu estava numa festa de casamento de uma amiga. Cheia de homens lindos e partidos interessantíssimos pra uma advogada encalhada. Mas fui me interessar por quem? Logo pelo DJ. Ele tava lá no espacinho dele tocando e eu olhando pra ele e dançando pra que me visse. Ele me viu, no fim da festa ficamos juntos, foi bom, gostoso, ele pegou meu telefone e eu pensei: Ah, Deejayzinho, deve pegar todas, toca em festas sempre, nunca iria me ligar...

Não é que ele me ligou no dia seguinte! E no outro, no outro, no outro... Foi esse o problema. Ele é uma delicinha, mas é um grude infernal. O pior foi que da última vez que nos vimos ele disse estar apaixonado por mim. Eu tive que trocar o número do meu telefone e passar uns tempos na casa da Amandinha, porque até onde eu morava ele descobriu e me cercava.

Até que ele descobriu meu e-mail e enchia minha caixa de entrada com e-mails apaixonados, grudentos e bregas. Eu lia todos, ria com alguns, morria de rir com outros, mas um me preocupou. Nesse ele disse que iria sumir, parar de me embarreirar e continuar a vida dele, mas que se um dia me encontrasse por um acaso, por obra do destino, ele não iria perder a oportunidade e iria me conquistar a qualquer custo, independente da circunstância.

NÃO! Ele não podia me ver naquele baile funk, a Amandinha não podia me apresentar ele, muito menos os amigos dele, que cá entre nós, devem ser tão grudentos quanto ele. Pobre Amandinha, mal sabe onde está amarrando o seu bode.

Então aconteceu o que eu disse, fugi dele como o diabo foge da cruz. Nessa fuga esbarrei com uma garota que estava gritando loucamente pro Catra que queria ser uma das mulheres dele. Não sei porque, mas eu achei aquilo genial e fiz amizade com ela. Cara, pensa bem, como é que uma pessoa pode querer o Catra? E tem mais, não é só o fato de querer ele, mas de dividir ele também. Acho que a coragem e a loucura dela me chamaram atenção, me distraiu e comecei a gritar com ela. Não gritei que queria o Catra, gritei que ela queria ele. Vejam bem!

Aos trancos e barrancos, naquela multidão de tigrões e tchutchucas fomos indo para perto do palco e a garota ensandecida gritando sem parar. Ele terminou uma música, olhou pra nós e nos chamou pra subir no palco. Então eu disse pra ela ir lá pegar o rei do funk. A vaquinha não me arrastou junto?

“Amiga, amiga, querida, bonitinha, oooow, funkeira, mulher do Catra, maluca, doida, besta, idiota... não, não, não me leva pro palco não, me solta, espera, por favor, eu não posso ir...”, nada do que eu falei pra ela adiantou. Mas não sei o que me deu, porque ao mesmo tempo que eu tava com medo de ir pra aquele palco e o DJ me descobrir, eu tava querendo muito estar do lado desse tal de Mr. Catra.

Eu fui, né? A garota agarrou no pescoço do cara e falou que era louca por ele. Ele então disse que pra ela ser uma das mulheres dele tinha que passar por uns testes e que o primeiro seria o da bundinha durinha. Pra isso ela vai ter que rebolar e dançar um funk cantado por ele e o público julgar o desempenho dela.

Meu pâncreas torceu com a possibilidade de fazer aquilo ali. Mas eu liguei o foda-se e fiz também, mesmo ele não pedindo pra mim. Aquela platéia de tigrões e tchutchucas julgaram a dança da minha colega como uma dança muito boa. Ovacionaram a garota. Mas gritaram pra mim tb: ô branquela, tu não é da raça, mas tu dança gostoso e tem uma bunda bonita! Ouvi isso de um 'nem' que tava perto da gente.

Era tudo que eu precisava saber: danço gostoso e tenho uma bunda bonita. Dr. Dualibe, por que você não vê isso, meu bem?

A minha colega terminou no camarim do Catra, não sei se ela conseguiu alguma coisa com ele. Eu desci do palco logo depois, uns tigrões vieram com essa bebida louca que eu disse que bebi, me deram, a gente dançou muito, nessa de fazer chão, chão, chão eu rasguei a minha calcinha não sei como, mas fiquei muito feliz.  
Primeiro, porque eu descobri que danço gostoso e tenho a bunda bonita, segundo, porque eu dividi o palco com o Catra e terceiro, porque acho que o DJ chiclete não me viu. 

Voltei pra casa de táxi, não sei como nem quem me colocou nele. Amandinha me ligou ontem dizendo que ia viajar com o DJ e voltaria amanhã... Só então vamos conversar sobre minha noite louca e contar pra ela sobre o mistério e a armadilha do DJ.

Apesar de tudo eu ainda te amo meu Dr. lindo.

Acho que agora cai bem um engov, um sal de frutas, sonrisal, Coca-cola...

Talvez, muito talvez “vodka ou água de côco, pra mim tanto faz...”

Se alguém encontrar meu Dr., avise a ele que eu sou capaz de casar com ele tipo agora.
Beijo pra vocês.

3 comentários:

  1. Oiiieee...passando aqui pra deixar um recado
    (Video Novo) Make Azul com Delineado azul......Siga que eu sigo tb!!!!

    http://youtu.be/5PgC5gHeLzI

    ResponderExcluir
  2. kkkkk...Amei cara, vc twitou pra mim e só ví agora, tô escrevendo como "anônimo" pq não tenho cadastro em nenhuma das opções tá?
    Bom, lí o seu blog, só que, como homem, senti-me inferiorizado. Não sou o tal doutor nem muito menos DJ, e outra, vc parece falar pras "meninas" inaltecendo os carinhas, homem lendo isso, sei lá, sente-se mal, mas gosto de ler, é um modo de "viajar na solidão em que vivo", ando um pouco assim...Vou cadastrar pra receber por e-mail, gostei...Irei ficar visitando esse blog pra ver oque vem pela frente e oque já perdi.
    Ah, na sua frase "Pra isso ela a ter que rebolar e dançar um funk cantado por ele e o público julgar o desempenho dela." tá faltando um "ia"....lê lá que vc vai ver.

    Gosto muito de vc, embora nem me dê atenção no twiter.
    @rafaelrisse

    ResponderExcluir
  3. Eu simplesmente estou amando ler essas histórias, ao pesar d ter começado só agora.
    e em relação ao Mr catra,particularmente não o acho bonito,mas aquela voz dele m da um tesão do caraii......rsrsrs
    bjs

    ResponderExcluir